Como foi a Expedição Amazônia: Rio Negro

WhatsApp Image 2020-02-09 at 19.27.20

De 22 a 26 de janeiro, nós da Trip Voluntária (Gustavo e Luiza) participamos da Expedição Amazônia: Rio Negro, promovida pela Vivalá. A gente ficou tão emocionado e inspirado por essa experiência que resolveu contar aqui, em detalhes, os pontos altos da viagem!

Quem sabe nosso relato não te inspira a embarcar com os próximos grupos? 🙂

22 e 23 de janeiro: a chegada

amazonia_luiza-rio

Chegamos em Manaus na noite do dia 22, onde ficamos hospedados no hotel Express Vieiralves. Os quartos triplos contam com ar condicionado, ótimo chuveiro e cama super confortável – perfeito para uma noite de descanso antes do início da aventura!

Quinta-feira, 23 de janeiro, tomamos o café da manhã e, às 8h, pegamos o micro-ônibus para uma viagem de cerca de 40 minutos, até o local onde embarcamos nas canoas. Ali começa a parte boa: 1h30 navegando pelos rios amazônicos, curtindo um visual maravilhoso e começando a entrar no clima da Expedição!

Apresentação e treinamento

amazonia_caboclos-entrada

Chegando no Caboclo’s Ecolodge, uma hospedagem aconchegante e pitoresca, entre a floresta e o rio, na comunidade de Acajatuba, começamos uma rodada de apresentações e interação com o grupo. Também foi a oportunidade de relembrar alguns pontos do pré-treinamento, feito on-line nas semanas anteriores, e tirar algumas dúvidas sobre o voluntariado.

amazonia_chegada

Fim de tarde

Na primeira tarde na Amazônia, visitamos a Casa de Farinha, onde aprendemos como é feita (e pudemos provar!) a autêntica tapioca. Também foi um momento de interação com a comunidade ribeirinha.

amazonia_comunidade

Na sequência, fomos ao flutuante do Seu Shell tomar um banho de rio, ver o deslumbrante pôr do sol, provar piranha frita e tomar uma cerveja e uma caipirinha prepada com todo o capricho!

amazonia_pordosol

Depois do banho e do jantar (que, aliás, era sempre delicioso), ainda saímos para um minissafari noturno pelo rio. Avistamos bichos-preguiça e jacarés, até que desligamos todas as lanternas e motores. Na escuridão absoluta da noite, observamos o céu estrelado e pudemos ouvir os sons da floresta ali de nossas canoas.

24 de janeiro: o voluntariado

amazonia_voluntariado

Sexta-feira foi o dia de atender a comunidade ribeirinha de Acajatuba em mais uma sessão de mentoria e capacitação realizada pela Vivalá. Divididos em duplas ou trios, atendemos os microempreendedores e, com o auxílio do material disponibilizado pela Vivalá, estabelecemos muitas metas a serem atingidas por canoeiros, artesãos, donos de pousada e de restaurantes.

Antes do almoço, ainda tivemos a oportunidade de testar e adquirir alguns dos produtos locais, com destaque para os belos artesanatos e doces deliciosos!

24 de janeiro: noite livre

Sextou! À noite, pudemos descansar do dia de trabalho e curtir um pouco as instalações do Caboclo’s Ecolodge. Os voluntários caíram na piscina, aproveitaram o bar ou sentaram para bater um papo em algum dos encantadores cantinhos da hospedagem – como vocês podem ver na foto acima!

A animação era tanta que sobrou energia para uma oficina de carimbó!

E se chover no dia da trilha na mata?

amazonia_floresta

Se chover… molha! Acordamos com chuva forte no sábado, mas nem isso desanimou o grupo. Depois do café da manhã, colocamos nossas capas e saímos para caminhar na Amazônia. O Gabriel, nosso guia local, explicou várias técnicas de sobrevivência: como se alimentar e se proteger de ataques, por exemplo.

Interação com botos

Uma das atrações mais aguardadas era a oportunidade de ter um contato direto com os botos. Aqueles que ainda tinham algum incômodo em relação ao passeio puderam tirar todas as dúvidas com os guias locais. Uma apresentação prévia tratou de todo o acompanhamento e monitoramento feitos por biólogos e especialistas do ICMBio e Ibama.

amazonia_botos

A interação é feita de forma profissional, apenas alguns dias por semana e com limite de visitantes, para evitar que os botos percam seus hábitos selvagens e a habilidade de caça, por exemplo. Os turistas não podem tocar os animais e devem seguir regras bem restritas de comportamento.

Festa na comunidade de Acajatuba

Pra fechar a expedição, nossa noite de sábado contou com uma festa na comunidade de Acajatuba: muito carimbó, funk e forró para juntar voluntários e ribeirinhos em uma confraternização já com clima de despedida. Foi momento de rir e se divertir, aproveitando os últimos momentos com aquelas pessoas tão amadas!

Na manhã seguinte, o pessoal ainda teve forças para ver o nascer do sol, antes de arrumar as malas com o coração apertado de saudades. Agradecimentos a quem nos recebeu de braços abertos, todo o caminho de volta e chega o momento de abraçar cada companheiro e companheira de viagem.

Ah, Amazônia, como a gente de ama!
Quer viver toda essa magia da Amazônia?

Ficou empolgado para também participar das Expedições de voluntariado, ecoturismo e turismo comunitário? Então corre para garantir sua vaga!

Acesse a página dedicada às Expedições Amazônia e confira as apresentações das próximas viagens, com todas as informações: roteiro, datas, hospedagem, valores, o que está incluído, política de cancelamento etc.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s