Dúvidas Frequentes

tv_bg

Aqui nesta página você encontra resposta para as seguintes perguntas:

  • Como faço para ser voluntário(a)?
  • Como funciona a viagem de voluntariado?
  • Quanto custa a viagem?
  • Por que preciso pagar para ser voluntário(a)?
  • Quais as condutas recomendadas para o(a) voluntário(a)?
  • Quais os requisitos para ser voluntário(a)?

 


 

Como faço para ser voluntário(a)?

Existem muitos caminhos para realizar uma viagem de voluntariado. Os mais comuns são: agências especializadas, plataformas virtuais que permitem a troca de trabalho por hospedagem e alimentação ou ONGs.

Antes de começar sua busca, é recomendável ter pelo menos uma ideia a respeito dos seguintes pontos:

– Quanto tempo pretendo ficar fora do país?
– Qual(is) meu(s) país(es) de destino favorito(s)?
– Com qual tipo de atividade quero trabalhar?

Também é válido pensar em como você quer dividir o tempo entre o voluntariado e o turismo ou demais atividades – existem opções para trabalho meio período, o dia todo, incluindo ou não os finais de semana.

Com essas informações, a gente consegue indicar a melhor opção para seu perfil!

 


 

Como funciona a viagem de voluntariado?

A viagem pode ter diferentes formatos.

amazonia_canoa
Grupo de voluntários da Expedição Amazônia: Rio Negro (Vivalá, jan/2020)

Existem, por exemplo, as expedições de voluntariado e turismo comunitário no Brasil: viagens em grupos de aproximadamente 20 pessoas, que acontecem em datas específicas e têm duração em torno de 4 ou 5 dias. Hospedagens, alimentação, atrações de turismo comunitário e ecoturismo, seguro viagem, traslados internos, guias e kit viajante já estão incluídos no pacote. No dia marcado para o início da expedição, o grupo se reúne no ponto de encontro definido (geralmente uma capital ou cidade grande mais próxima do local do voluntariado) e é acompanhado por um guia do começo ao fim da viagem. As atividades do voluntariado já são definidas previamente e adequadas de acordo com o perfil do grupo e a necessidade da comunidade. Conheça mais sobre as expedições AQUI.

kenya03
Voluntariado na África (African Impact)

Há também as viagens de voluntariado para a África. Neste caso, a viagem é marcada individualmente, com mais flexibilidade para escolher as datas de início e término, bem como as atividades a serem realizadas: cuidar de crianças, animais selvagens, saúde, educação, equidade de gênero etc. Hospedagem, alimentação, traslados internos e todo o acompanhamento por profissionais durante o voluntariado já estão incluídos. Normalmente o trabalho acontece de segunda a sexta, nos períodos da manhã e tarde; noites e finais de semana são livres – a equipe está preparada para orientar os voluntários a respeito de atrações turísticas e atividades que podem ser realizadas no tempo de descanso. A duração mínima desse tipo de viagem é de, normalmente, 10 dias. Conheça as opções AQUI.

 


 

Quanto custa a viagem?

Toda viagem de voluntariado ou turismo comunitário tem um custo, que pode variar bastante de um projeto para o outro, principalmente devido aos seguintes aspectos:

– O tempo de duração;
– O que está incluído no pacote;
– Custo de vida no local de destino.

Outros pontos que devem ser considerados são os gastos adicionais, tais como:

– Passagens aéreas;
– Passeios turísticos ou atividades não previstas no roteiro;
– Passaporte e vistos (no caso de viagens internacionais);
– Compras (presentes, bebidas, entre outros);
– Reservas emergenciais.

Portanto, o primeiro passo para avaliar os custos envolvidos é verificar tudo o que está incluído no pacote da viagem e quais serão os gastos adicionais.

Algumas dicas para planejar o seu orçamento de viagem:

– Pesquise o valor das passagens aéreas para o destino escolhido;
– Verifique a melhor época para viajar para lá, pois alguns destinos podem ser muito procurados devido ao clima em determinada época do ano ou por conta de algum feriado, o que faz o preço das passagens disparar;
– Confira o custo de vida do local para onde você vai viajar;
– Analise quais passeios turísticos pretende fazer durante sua viagem ou quanto imagina que vai gastar em compras de produtos e presentes, definindo um valor para gasto diário ou semanal, de acordo com o tempo que vai ficar por lá;
– Lembre-se de considerar custos adicionais, como despacho de bagagem, passaporte, vistos, reservas emergenciais etc.

Em todas as viagens, no pré-embarque, o viajante recebe orientações a respeito do que levar na bagagem, quanto dinheiro em média é recomendado levar de reserva, qual a melhor forma de levar esses valores (em espécie, cartão de crédito etc.), entre outras dicas sobre o assunto.

 


 

Por que preciso pagar para ser voluntário(a)?

Este é um assunto que sempre gera questionamentos – e assim deve ser! Afinal, por que preciso pagar se estou indo viajar como voluntário(a)?

Toda viagem envolve um custo: hospedagem, alimentação, transporte, impostos, contas, divulgação etc. Além desses custos, há também uma cadeia enorme de profissionais a ser remunerada, atuando em atividades que começam bem antes do início da viagem e continuam por muito tempo depois que a viagem termina.

Acreditamos que seria uma grande hipocrisia de nossa parte promover viagens de voluntariado ao mesmo tempo em que exploramos mão de obra barata nas comunidades onde atuamos. Defendemos que todos devem receber remuneração justa pelo trabalho que desenvolvem.

Por isso, fazemos questão de cobrar valores compatíveis com o mercado, assim como oferecer o máximo de transparência a respeito de como esses valores são gastos.

Convidamos também todos os viajantes a observar e apontar qualquer dúvida a respeito do emprego de recursos financeiros ou do impacto positivo que estamos gerando nas comunidades, pois é nosso dever e compromisso otimizar cada vez mais a nossa atuação. Críticas construtivas são sempre bem-vindas!

Por fim, alertamos para o fato de que, assim como em qualquer outro ramo, as viagens de voluntariado e o turismo comunitário contam com bons e maus profissionais e empresas. Desconfie de produtos ou serviços oferecidos por preços muito altos ou muito baixos; isso pode ser sinal de alguma conduta antiética. Vamos, juntos, trabalhar para que o voluntariado e o turismo comunitário sejam sempre ferramentas poderosas de impacto positivo para a sociedade!

 


 

Quais as condutas recomendadas para o(a) voluntário(a)?

Em primeiro lugar, lembre-se que a viagem de voluntariado ou turismo comunitário é uma experiência. O voluntário não é herói nem está salvando o planeta; trata-se apenas de alguém que quer viajar de forma sustentável e responsável, evitando o turismo predatório, que agride o meio ambiente e as comunidades onde atua, e que busca uma experiência mais autêntica, em contato com pessoas “reais”.

É claro que pessoas são ajudadas e se beneficiam do trabalho voluntário, mas não podemos ter a arrogância de achar que somos os salvadores delas. Pelo contrário: a postura a ser adotada é sempre a de humildade, de quem se coloca à disposição para ajudar, sem impor suas verdades, disposto a ouvir e aprender, deixando o protagonismo para a comunidade.

Evite chegar com ideias e soluções prontas. O levantamento dos problemas a serem atacados e a construção de soluções devem ser processos coletivos, sempre sob a liderança da comunidade, sendo o(a) voluntário(a) apenas um facilitador. Enxergue a si mesmo(a) como alguém que traz experiências e conhecimentos diferentes daqueles que a comunidade possui e está colocando essa bagagem à disposição daquelas pessoas, para que utilizem da forma que mais fizer sentido a elas.

Respeite os valores morais, religiosos, políticos ou sociais das comunidades. Jamais imponha as suas verdades. Não tem como ser mais claro do que isso. Tenha a mente aberta! Quando estiver desconfortável, converse com um de seus guias.

Os registros em fotos e vídeos, compartilhados nas redes sociais, são importantes para a divulgação do trabalho, porém devem seguir diretrizes fundamentais.

Em primeiro lugar, recomendamos guardar câmeras e celulares por um tempo, para que, primeiro, possa haver interação com as pessoas. Deixe os registros para depois, quando já houver uma relação mínima de confiança e intimidade estabelecida – garantimos que as fotos ficarão ainda melhores!

Evite fotos posadas ou selfies; mais uma vez, vale lembrar que estamos lidando com pessoas reais, muitas vezes em situação de risco. O ideal é pedir que seu guia ou orientador faça as fotos para você. Imagens de pessoas – principalmente crianças – em situação degradante também são vetadas. Nosso objetivo é combater a pobreza e a desigualdade, não fazer delas um troféu ou um espetáculo.

Com relação às crianças, o cuidado deve ser redobrado: nunca fique sozinho(a) por muito tempo nem se afaste do grupo com uma única criança. Evite brincadeiras violentas ou de cunho sexual, bem como palavrões ou termos inapropriados.

Por fim, lembre-se de cuidar da própria saúde física e mental! Não crie expectativas em relação aos resultados do seu voluntariado: muitas vezes a convivência e a troca de experiências valem mais do que impactos práticos imediatos.

Aproveite seu tempo para se divertir, aprender, conversar e conhecer pessoas e histórias incríveis! Será uma experiência que ficará guardada para sempre na memória.

 


 

Quais os requisitos para ser voluntário(a)?

A maioria dos projetos de voluntariado não exige nenhuma formação específica; você precisa apenas ter muita disposição e a mente aberta para conviver com outra cultura. No caso dos voluntariados na África, também é importante ter nível intermediário de inglês.

Para quem não fala outra língua, a sugestão é procurar por voluntariados nos países de língua portuguesa, como Angola, Moçambique, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, na África, ou Timor Leste, na Ásia.

 


 

Ficou interessado? Então comece já a decidir sua viagem de voluntariado para o Brasil ou para a África!

Se você ainda precisa de ajuda, escreva para a gente! Envie um e-mail para tripvoluntaria@gmail.com respondendo as seguintes perguntas:

– Que tipo de atividade você quer realizar durante o voluntariado (crianças, idosos, sociedade, meio ambiente, animais etc.)?
– Quanto tempo você pretende ficar fora?
– Qual(is) seu(s) destino(s) de preferência?

A gente está aqui pra te ajudar a encontrar a Trip Voluntária perfeita para você!